Apoio ao Cliente
   Spam
 
normas de segurança relativas a SPAM
O que é?

Spam é o envio de várias cópias da mesma mensagem de correio electrónico a um número considerável de utilizadores que não escolheram recebê-la. A maior parte do spam é publicidade e o custo para quem envia é quase nulo sendo suportado pelo utilizador porque o acesso às contas de correio electrónico que utilizam efectua-se através de serviços telefónicos e de acesso pagos.

Existe um tipo de spam que é direccionado para a Usenet (para os lurkers ) pessoas que consultam os newsgroups mas nunca participam activamente. Os administradores deparam-se com publicidade em nada relacionada com o tema discutido. O spam de correio individual é estruturado com listagens de envio que são criadas a partir de posts na Usenet , roubo de listas de mailing ou busca na Web por endereços de correio electrónico.

As mensagens de spam normalmente publicitam produtos ou serviços inúteis, enganadores e em parte ou totalmente fraudulentos. Alguns tipos de spam são ilegais em certos países, nomeadamente os que contêm pornografia. Os spammers criam páginas anti-spam falsas ou forjam correio de organizações anti-spam . Nenhuma destas organizações ou anti-spammers a nível indivídual estão a pedir ou a aceitar donações em dinheiro ou em valores.

O bloqueio de spam não é censura. A censura bloqueia informação de acordo com o conteúdo. Seria censura colocar restrições à publicidade na Internet . O objectivo do anti-spamming não se destina a travar o comércio mas sim ajudar as actividades comerciais. As empresas mais facilmente autorizam a utilização da Usenet e do correio se ambos se mantiverem funcionais.

A segurança dos servidores.

MAPS RBL ( Mail Abuse Prevention System LLC, Realtime Blackhole List ) é um sistema que cria saídas de rede intencionais (buracos negros) com o objectivo de limitar o transporte de mensagens de correio electrónico declaradamente indesejadas. O MAPS RBL não nega a conectividade a um não utilizador do sistema. Se a rede aparentar ter sido atingida por este sistema é sempre conveniente confirmar se o destino não optou deliberadamente não trocar tráfego. Este sistema não é uma polícia de rede mas um método de identificação de origens de spam e lista apenas IPs. Para os utilizadores de correio que enviam uma mensagem para um endereço de correio e recebem uma mensagem de resposta indicando que a mensagem não foi aceite (surge também um pedido de consulta da página http://mail-abuse.org/rbl/) isto significa que o destino da mensagem escolheu deliberadamente não receber mensagens do servidor de correio de que este utilizador se serve eventualmente por este se encontrar nas listagens da MAPS como fonte de spam . Em termos de funcionamento não são excluídos nomes de utilizadores, domínios ou conteúdos de mensagens. O objectivo principal é o IP da máquina ligada à Internet . A única razão pelo qual um IP surge na listagem MAPS é porque esteve na origem do envio de mensagens de correio não solicitadas (vulgo SPAM ). O administrador pode escolher apenas a identificação das mensagens (ou dos logs ). O campo de acção ou o tipo de bloqueio escolhido é da responsabilidade do administrador.

Na página do Abuse.Net é possível testar a segurança. Esta é única página que possibilita o mesmo tipo de testes que a ORBS efectua. Podem surgir resultados negativos relativos a servidores que aceitam correio mas só o processam depois. À primeira mensagem aceite os teste terminam. Pressupõem-se que a entrega no destino final conclui que o servidor está aberto. Nem todos os servidores que aceitam mensagens teste são relays abertos (nestes incluem-se o MS Exchange, Lotus Notes e o Novell Group Wise quando configurados).

Outras páginas:

- Sam Spade

- Projecto MAPS

- UXN

- Consumer.net



   
 
Voltar à página anterior Topo da Página